Por que modelo de remuneração avança muito lentamente no país?

O Diretor da Planisa, explica que apesar dos esforços, ainda vivemos num ambiente hospitalar sem informação. E sem informação não se tem segurança para tomada de decisão. Vamos a um exemplo!

Em estudo conduzido pela Planisa, em mais de 500 pacientes submetidos a cirurgia de colecistectomia, os custos destas cirurgias variaram de R$ 2.850,00 (menor custo) a R$ 24.203,00 (maior custo). “Diante desta variação e com ausência de metodologia e indicadores que alertam e justificam essa variação, como os prestadores podem avançar em modelo de remuneração?” Como definir o preço de um bundlle?, questiona o diretor técnico da Planisa, Marcelo Carnielo.

Por diversas vezes, encontramos as idiossincrasias em formatação de modelos de remuneração no Brasil, recentemente algumas operadoras estão utilizando o valor pago para os prestadores, baseados na codificação DRG, e o pior, no percentil 25 do DRG, e entendem que isso é bundlle, será? Na opinião do diretor técnico da Planisa, este tipo de prática aumenta a insegurança na relação entre os players, porque traduz apenas os interesses econômicos por parte da operadora.

Sem dúvida, o modelo fee for service nos moldes tradicionais que remunera o volume deve ser atacado por meio de metodologias que possam agregar valor, como é o caso do DRG, mas precisamos sabiamente utilizá-lo, finaliza o diretor técnico.